domingo, novembro 06, 2011

Let it go!!

Porque é tão difícil deixar o passado pra trás? Seguir em frente sem o peso de lembranças inúteis e desnecessárias. Não que sejam ruins, mas nem sempre são fácil de carregar. As pessoas entram e saem da vida da gente toda hora, e nem por isso a gente tatua as mais importantes na pele. Andar pra frente olhando pra trás, é perigoso pra integridade física.


Acho que o problema é esse monte de rede social. Agora é possível ter acesso a detalhes da vida de alguém que foi importante e muito participativo no nosso passado, mas que agora não passa de uma lembrança. Pode parecer piegas, mas vou ser sincera, tenho ciúmes de ex-melhores amigos que tem novos melhores amigos. Sinto-me traída e abandonada. Como se a pessoa não pudesse ter uma nova vida na qual eu não me encaixo. É irracional, eu sei, mas é o que eu sinto. Nós seguimos por caminhos diferentes e por mais que um dia a gente tenha andado de mãos dadas e nos apoiando mutuamente, hoje a gente nem se vê mais. Seria mais saudável se a gente nem soubesse muito um da vida do outro, já que estamos afastados. É difícil pro meu ego aceitar que a vida continua e meus ex-amigos tem novos melhores amigos e que sua vida está muito bem sem mim.
Não que a minha não esteja, mas estou sendo egoísta e infantil nesse momento, se vcs me permitem.
Acho que eu ficaria mais conformada se soubesse notícias esporádicas, mas os detalhes me incomodam. Sei que foram colocados lá pra outros amigos e não pra mim e isso me machuca. Mas eu faço a mesma coisa, atualizo minha vida na internet para meus amigos mais próximos, mais atuais.

É incoerente, eu sei, mas como eu já disse antes "NÃO TRABALHAMOS COM COERÊNCIA".

Coerência? Pra quê?
Tenho duas explicações pra esse ciúmes que sinto. Vamos a elas:
1. no fundo eu sei que vc foi uma grande amiga, talves a maior e lamento profundamente que a vida tenha nos afastado. Tenho esse sonho infantil de que seriamos unidas e inseparáveis para sempre, que ficariamos falando ao telefone por três horas até fazermos noventa anos e que seriamos madrinhas uma dos filhos da outra;
2. na verdade eu tô carente demais e qualquer manifestação amorosa de quem eu já amei muito para quem eu nem conheço me trás um sentimento de inveja, com o qual eu não sei lidar.

Na verdade, mesmo se a vida não tivesse nos enviado para distâncias tão grandes, talves não fossemos mais amigas, porque no fundo eramos bem diferentes e queriamos coisas diferentes e acabariamos nos distanciando aos poucos. Mas como foi de uma vez, parece que podia ser diferente, que hoje seríamos as astrounautas que sonhamos na quarta série e estariamos desbravando o universo em uma nave contruída no quintal em formado de abacaxi. Ou moraríamos juntas em uma quitinete na Augusta e festariamos todos os fins de semana. Ou teríamos nos casado com dois caras incríveis, de preferência irmãos e passariamos os natais com nossas familias juntas e nossos filhos que teriam idades parecidas e seriam melhores amigos.


 Como eu já disse antes, estou carente e por isso idealizo. Idealizar é um troço que eu faço muito. Idelizo situações, relações, amores. Sonho de olhos abertos e isso não é legal, porque torna a realidade um pouco enfadonha. Quando vejo na internet pessoas que passaram por minha vida seguirem adiante sem mim, sinto-me rejeitada e se tem outro troço com o que não trabalhamos muito bem é com a rejeição.
O melhor da festa é esperar por ela, comigo sempre foi. No fim minha vida e meus problemas se resumem a uma puta de uma ansiedade que tenho em excesso.
É o que tem pra hj
#bjmeliga

7 comentários:

Anônimo disse...

Burguesinha
Seu Jorge

Vai no cabeleireiro
No esteticista
Malha o dia inteiro
Pinta de artista

Saca dinheiro
Vai de motorista
Com seu carro esporte
Vai zoar na pista

Final de semana
Na casa de praia
Só gastando grana
Na maior gandaia

Vai pra balada
Dança bate estaca
Com a sua tribo
Até de madrugada

Burguesinha, burguesinha
Burguesinha, burguesinha
Burguesinha...
Só no filé

Burguesinha, burguesinha
Burguesinha, burguesinha
Burguesinha...
Tem o que quer

Burguesinha, burguesinha
Burguesinha, burguesinha
Burguesinha...
Do croissant

Burguesinha, burguesinha
Burguesinha, burguesinha
Burguesinha...
Suquinho de maçã

Lalá disse...

Tudo bem que eu mesma disse que não trabalhamos com coerência, mas ... OIE??? WTF??

kkkkkkkkk.
Né?!

Anônimo disse...

Vou parar de clicar nos cometários do seu blog pq é um saco lembrar da existência de certas pessoas.

Sis

Anônimo disse...

Amores estranhos( Estranhos amores)

Sinto muito tenho que ir embora
Mas eu sabia que era uma mentira
Quanto tempo perdido atrás dela
Que promete mas nunca muda( nunca quis te fazer mal)
Amores estranhos põe em problemas
Mas na realidade, somos nós

E você a espera num telefonema
Brigando para que esteja livre
Com o coração no estômago
Encolhida no canto
Sozinha ali, dentro um calafrio
Mas por que ela não está

E são amores estranhos que
Fazem crescer e sorrir
Entre as lágrimas
Quanta páginas a serem escritas,
Sonhos e marcas a serem divididas
São amores que freqüentemente nesta idade
Se confundem dentro dessa alma
Que se questiona sem decidir
Se é um amor que serve para nós

E quanta noites perdidas chorando
Relendo aqueles emails
Que não consegues mais jogar fora
Do labirinto da saudade
Grandes amores que acabam
Mas por que permanecem no coração

Estranhos amores que vão e vêm
Nos pensamentos que o escondem
Verdadeiras histórias que nos pertencem
Mas se deixam como nós

Amores estranhos amores frágeis
Prisioneiros, livres
Amores estranhos põe em problemas
Mas em realidade, somos nós

Amores estranhos frágeis
Prisioneiros, livres......
Amores estranhos que não sabem viver
E se perdem dentro de nós

Me desculpe tenho que ir embora
Desta vez eu prometi a mim
Porque eu quero um amor verdadeiro
Sem você

Anônimo disse...

Para Sis.
Acalme-se! A pessoas que nem compensa odiarmos, são pobre coitadas vagando por um precipício!Essas pessoas são aquelas que se entregam aos estranhos amores, mas o fim delas já sabemos. Serão tragadas pelo inferno ao optarem por atos fora do normal que envergonham não só a elas como a toda humanidade.

Rê.

Lalá disse...

Querida Rê, se vc quiser falar com a pessoa Sis, procure-a, seja lá onde ela esteja, meu blog não é correio, tá. Até que vc se identifique corretamente, parto do princípio que tal pessoa possa ser vc, ok? Assim, não é pq eu aceito e publico o cometário que eu o aprovo ou concordo com o mesmo. Detesto comentário anonimo, só resolvi não me estressar mais com eles, principalmente qdo são agradáveis. Mas se ficar de deus pra cá, inferno pra lá e indiretas mal dadas, eu bloqueio de novo,
#bjmeliga

Anônimo disse...

Rê, pra que perder tempo assinando qualquer nome, sabemos bem quem é vc sua coitada.