quinta-feira, setembro 30, 2010

"Daniela's lesbian day"

Hoje é o Daniela's lesbian day. Foto auto explicativa:
Lésbica sorridente                             lésbica intelectualizada                          lésbica fashion    

Eu sempre quis ter uma boina, adoooro, mas que fiquei com carinha de sapatão, ah, isso eu fiquei. Tô nem aí, vou usar mesmo. Toda trabalhada na diversidade sexual. KKKKKKKK.

quarta-feira, setembro 29, 2010

Feliz aniversário.

Em 29 de setembro de 1972, uma sexta-feira chuvosa esse dois aí da foto se casaram...


Desse casamento que, sabe-se lá deusi como, dura há 38 anos,
nasceram essas belezuras aí:

Eu, minha irmã não retirante e meu irmão retirante.

Copiei as fotos da não retirante.
Fui....


Toda trabalhada na angustia...

Eu achei que dava conta de publicar aqui alguns contos, mas não vai rolar. Não sou boa com críticas (boas ou ruins), só a espectativa delas já tá me fazendo mal, me deixando angustiada. Por isso venho por meio desta informar a quem interessar possa que deixo a vida pública de escritora de contos melodramaticos de quinta categoria, para alívio dos parcos leitores que vez por outra aparecem por essas bandas, kkkk. Não vou deixar de escrevê-los, porque pra mim isso sempre foi uma necessidade, apenas não estou pronta para expô-los a apreciação pública. Agora deixa eu voltar pra minha caminha quente pq eu tô MORRENDO de cólica... ái.

Eu já disse que ODEIO ficar menstruada? Pois é, ODEIO com todas as minhas forças. E tem mais, esse negócio de igualdade entre os sexos, eu só vou aceitar no dia que um homem tiver uma dor igual a essa. Tá, tá sei que vão falar do chute no saco... Mas por acaso eles recebem chutes no saco com data marcada? Uma vez por mês? A dor dura pelo menos uma tarde toda? Ahah! Então pega esse seu saco e sai daqui senão eu chuto.

É o que temos pra hj.
(mal humorada?? hormônios...)

terça-feira, setembro 28, 2010

Quem conta um conto...

Abriu os olhos, mas não quis se levantar.  Ficou deitada... não, não é a música do legião, é apenas mais uma história confusa na vida dela. Não se lembrava de ter pego no sono e quando acordou percebeu que estava nua. Não tinha certeza de onde estava, mas não era a sua cama. O quarto estava na penumbra e dava pra ouvir uma múscia que vinha de fora.  Vasculhou a mente em busca de respostas, não queria se mover, pois percebeu que não estava sozinha. Olhou de canto de olho para o chão e reconheceu sua blusa. Lembrou-se de tê-la vestido pra sair, mas isso foi quando? Hoje? Ontem? Semana passada? Sentiu que alguém se movia levemente na cama ao seu lado, e ronronava. Não teve coragem de olhar. Espiou de novo e viu mais roupas no chão ao seu lado. Uma calça, não era sua, parecia ser masculina. Concluiu que era um homem que estava ronronando ao seu lado. Sua cabeça doía e aos poucos ela se lembrava da algumas coisas. Lembrou de ter saído de casa com aquela amiga, com quem sempre se metia em confusões. Mas dessa vez as coisas tinham ido longe demais. Agora se lembrava de ter tomado tequila, cerveja, uísque... ela se lembrou de ter experimentado o tal  absinto, isso explicava a amnésia. Olhou pela janela, ainda era noite. Devia ter dormido pouco tempo. Porque estava tão confusa? Sentia em seu corpo que não tinha só dormido. Olhou de novo no chão e ficou aliviada, viu uma camisinha usada. Ótimo, perdera a consciência, mas não perdera o juízo, não completamente. De repente o estranho ao seu lado acordou, beijou seus lábios docemente e disse: - Vamos voltar para a festa antes que percebam que demos uma fugidinha? Ela olhou nos olhos do seu namorado e sorriu. Não estava louca afinal de contas, só sua imaginação que continuava a voar rápido demais. Mas não era assim sempre?  

Acho que eu vou "gorfar"...

Nossa tô tão feliz que acho que vou gorfar, rsrsrs.
Eu consegui, deixei esse blog do jeito que eu queria, pelo menos o fundo.
Num ficou lindo? Eu amei.
Sabe como eu consegui? Minha irmã "não retirante" sabe, ela que sempre me falou, TUTORIAL meu bem. Mas tava mecagando de medo de fazer o que dizia no tutorial. Dizia pra editar no HTML e eu não manjo nada de HTML, eu mecagodemedo do HTML, kkkkk.
Achei que meu blog podia sumir, se auto destruir em 30 segundos, implodir, mil coisas. Fiz na cara e na coragem, e num é que deu certo... kkkkkk.
Quero ver um tal arquitetoretirante querer que eu explique o que fiz pra fazer também.
Mole, mole. Olha lá ele fazendo em 3..., 2..., 1.

Unhas feitas.

sem flash                                           com flash
Acabei de fazer as unhas, usei o "pink vigarista" da coleção penelope charmosa da risqué que eu comprei há décadas, kkkk. Tá mais parecido com a realidade a segunda foto, com flash. Eu usei de novo a base fosca da big universo, matte plus, que eu amoo. Passei três camadas, mania que "peguei" da Luiza.
É o que temos pra hoje. 

segunda-feira, setembro 27, 2010

Quem conta um conto...

Foi melhor assim, não tinha como funcionar. Era muito complicado. Ela ficava repetindo isso, quem sabe acabaria acreditando. Queria acreditar, porque era verdade. Nesse momento tudo que ela não precisava era de uma aventura inconsequente. Essa história não tinha nada de bom para oferecer. Era uma péssima ideia, com tudo pra dar errado, se continuasse alguém acabaria se machucando, ela provavelmente. Mas ainda assim ela lamentava, e lamentava profundamente. A razão lhe dizia que não havia perdido nada, pois nada tinha acontecido. Mas a emoção dizia outra coisa. Que ela tinha perdido a expectativa, a possibilidade, a sensação de que algo incrível podia acontecer. Seu coração calejado era por demais otimista. Mas agora ela voltava a ser livre. Não precisava mais se preocupar com tempo, nem se estava ou não bonita, mas isso não a consolava. A perspectiva de não mais ver seu sorriso quando os olhos se cruzavam, não sentir o toque leve e supostamente acidental dos dedos em sua pele, não ouvir a voz com alegria indisfarçada quando dizia seu nome, que misteriosamente parecia mais belo e melodioso quando ele falava, de como era fácil esquecer-se de respirar quando ele a olhava dentro dos olhos. Era disso que ela sentiria falta. O destino lhe havia tirado os momentos mais preciosos da semana e em troca lhe dera o preciso bem da liberdade. Quem foi que disse que liberdade é sempre boa?    

sábado, setembro 25, 2010

Melhorando...

Não vc não errou de blog. Eu tava achando a aparência meio sem graça e resolvi dar uma mudada. Ainda não tá bem do jeito que eu quero, mas tá bom. Quédize, bom, bom, bom numtá, matábom...

E agora vou me arrumar pq hj tem balada. ALOKA!!!

sexta-feira, setembro 24, 2010

Rede antissocial


Essa é a mais antissocial das redes sociais. O hatebook. É uma sátira ao facebook, onde todos são politicamente corretos e só podem curtir as coisas, não tem a opção odiar, paunocu e coisas do tipo. Eu conheço bem uma meia duzia de pessoas, que vão curtir o hatebook, como a minha irmã não retirante, meu amigo Boch, eu, que inclusive já me inscrevi.
Nessa rede antissocial pode-se encontrar pessoas com mau humor de segunda-feira chuvosa pela manhã e um adorável complexo de garoto enxaquequa. Adooooro.

Filosofia de W.C.

Uma porta fechada é o suficiente para obstar sua passagem? Tô falando de porta de banheiro, mas serve, analogicamente para outras situações.
A garota nem tentou abrir, simplesmente desisitiu. Só a visão do obstáculo a impediu de prosseguir. E ainda me avisou - "Acho que tem gente, a porta tá fechada."
Eu nem dei bola, fui lá e tentei abrir a porta, que por sinal não estava trancada. Mas se estivesse eu verificaria se tinha alguém dentro. Se estivesse vazia, não era a tranca que me impediría de entrar, eu dava um jeito, nem que seja arrombando, mas eu entro.
Acho que esse tipo de pessoa que desiste na frente da porta, só porque está fechada é o tipo de concorrenter ideal em concurso público, tomara que a maioria seja assim, educadinha, porque aí eu saio arrombando as portas e uma hora eu entro na carreira pública, né? Se não for presa antes, kkkkk.

quarta-feira, setembro 22, 2010

Quem conta um conto...


Desde aquela vez, nunca mais ela se permitiu amar. Era simples assim, criou um muro de proteção e por ele quase nada passava. Aquela vez foi a mais cruel e apesar de já terem passado alguns anos ela ainda não se sentia recuperada. Mas era impressionante como as coisas haviam mudado dentro dela. O que era importante passou a ser efêmero. O que era complicado ficou simples. Nem a lembrança surtia mais o mesmo efeito. Coisas que eram essenciais agora simplesmente não faziam mais sentido algum. O tombo que a derrubou feriu sua alma, levantar demorou mais do que o previsto. Houve um tempo em que ela nem acreditou que se levantaria. Mas agora que ela está de pé, a paisagem está diferente. O horizonte se estendeu e o que ela deseja não está ao alcance das mãos, nem ao alcance dos olhos. Havia um espaço vazio dentro dela. Por isso ela partiu. Foi para depois da linha do horizonte, lá onde a luz se encontra com a escuridão.
O que ela espera encontrar?
Até onde ela pode ir?
Quando ela vai parar de procurar?
Essas dúvidas a impulsionam. Agora ela vai amar a si mesma. Esse amor será recíproco e seguro. Por esse amor ela vai lutar incessantemente, porque se ela não aprender a se amar, como pode esperar um dia ser amada, ou mesmo reconhecer o amor do outro?
E agora ela sabia que havia desistido de desistir.  

terça-feira, setembro 21, 2010

...e por falar nos anos 70.

Pra ser honesta essa foi nos anos 80, provavelmente 1981.

Ihhh, phodeu..

Minha vó se mudou p/ o apartamento que ora habitamos em setembro do ano passado, e desde então sua casa térrea estava desocupada, p/ alugar. Eu consegui alugar a casa em julho desse ano (que que eu tinha que me meter). Aluguei por um bom preço, dando às locatárias preferência na compra e um desconto pq elas estão fazendo reformas de melhoria no imóvel. Tudo bem. No contrato consta que o uso e a finalidade é exclusivamente comercial e que é uma empresa de distribuição de produtos eróticos. Tá, nesse momento meu avô deu três piruetas no túmulo, a perdida da neta dele alugou o seu sacrossanto lar pra uma sex shop. Só por isso eu já tinha garantido meu caldeirãozinho no inferno. Aí hj eu vi a seguinte twittada:


Essa moça é vizinha da casa da minha vó. Eu liguei pra ela na hora pra saber se era lá mesmo, era. Um amigo dela recebeu na rua um folheto indicando o lugar como "Casa de massagem terapeutica para homens de fino trato", ... código pra PUTEIRO.
E agora José? Liguei na imobiliária pra saber a verdade, pq nada contra putas, acho ótimo, mas que eu sáiba é proibido explorar a atividade no Brasil, é crime. Quer ser puta, seja, mas cafetina não póde, vai dar na rua, numa casa não. Meu receio é que dê problema com a policia mesmo, porque a essa altura meu avô (que deve estar dando duplos twistes carpados dentro do caixão) já providenciou um caldeirão com água de esgoto fervente pra mim lá na casa do capeta, né?

Falando cozhomi...

Qdo eu fui fazer o concurso do MPU, sabia que havia muita gente fazendo, mas não pensei que seriam mais de 700 mil.... enfim.
Minha vó, minha tia-avó e uma amiga delas disseram que íam rezar por mim. Ok, acho bom mesmo, pq qdo a amiga da minha vó me mandou acender uma vela aí pro anjo da guarda eu argumentei o seguinte:
"- Eu nunca falo cozhomi, aí agora que eu tô necessitada de uma ajudinha vou lá rezar, pedir, sem antes mostra respeito, amizade."
Qualé maluko! Aprendi com Don Coleone que isso não se faz assim.
Então deixei a parte das rezas com elas que tem "intimidade" cozhomi e fiz minha parte, que convenhamos é bem mais difícil, que era estudar. Agora é aguardar e ver se deu certo.

Primeiro puxa o saco, depois pede favor, né colega.

segunda-feira, setembro 20, 2010

Unhas novas.


Eu sei que eu disse que ía usar o pink vigarista da coleção penelope charmosa, mas qdo olhei p/ o sereia da impala na caxinha, me deu uma vontaaade. Usei a base fosca da Big de novo e amei.
É o que temos pra hoje.

Sem inspiração pra postar, mas...

Como hj eu não tô inspirada pra debochar da minha vida, vou contar (finalmente) a situação mais constrangedora que eu já passei. Sem dar nomes, claro.
Ok, foi assim, lá por 1998 eu fui visitar minha irmã em Assis/SP, onde ela fazia Unesp. Já de cara ela me explicou o esquema com a "machaiada", havia poucos gatos e eram supostamente difíceis, pq a mulherada dava aos cachos. Bom aí ela me falou dos 3 mais bonitos, o "Trufeiro", o "Sócia do trufeiro" e um outro que eu não me lembro agora. De noite fomos numa baladinha, num bar chamado "Almanaque", era festa a fantasia, eu fui de bruxa (sempre). Aí lá pelas tantas, eu de pileque já, fiquei com um carinha, bem no meio da balada, na frente de todo mundo (eu lá sabia quem era todo mundo?). Vi a cara da galera, mas fiquei diboa. Depois soube que esse carinha com quem eu fiquei era o tal "sócia do trufeiro".
Agora damos um salto no tempo.
No ano seguinte, voltei à Assis. Estava conversando com duas amigas da minha irmã, vou chamá-las de C e D. E aí contei que essa história de homem dificil em Assis comigo não tinha rolado. Pq de cara já peguei um cobiçadíssimo e no mesmo dia tinha ficado com um outro. Tava dando uma de gostosa mesmo, toda se achando. Aí a C perguntou "- Qual?" Eu disse "-Não lembro o nome dele, mas sei que chamavam de "sócia do trufeiro", aí a D disse, "- Eu sei o nome dele é "Tananã", ele é meu namorado..."
(....momento AVC.....)
Ok, porque essa história se perpetuou no tempo? D casou com o "sócia do trufeiro", eles são super amigos da minha irmã, até já foram em casa, lá em PP. E a D adora essa história, me zuou um monte, uma vez eu atendi o telefone era ela aí ela disse "- Querido é a Dani ela tá te mandando um beijo", ou então uma vez no meio de uma conversa ela soltou um "-Ele beija super bem, a Dani sabe, né Dani?"
Coisas assim... detalhe, na frente dele. E eu querendo morrer...
Bem feito, quem mandou querer ser exibida.

sábado, setembro 18, 2010

Quem conta um conto...

Encontro marcado.
A primeira vez que ela o viu sentiu que era especial. As primeiras vezes foram casuais, mas a partir daí ela calculava friamente seus horários para que aqueles encontros casuais acontecessem toda semana. E assim aconteceu por várias semanas, casualmente eles se encontravam. E ficavam cada vez mais próximos, cada vez mais íntimos.  Ela gostava como ele dizia seu nome, como ele sorria ao vê-la, como se finalmente o dia ficasse iluminado. Ela esperava por ele com o coração acelerado, toda semana. Mas eles não se preocupavam com modernidades como telefone, email, redes sociais ou mesmo sobrenome, eram ele e ela, o são-paulino e a corinthiana, um esperando pelo outro, toda semana. Às vezes ela faltava, e na vez seguinte ele reclamava, porque ele sempre estava lá, esperando por ela...
Naquela manhã fria ela estava particularmente ansiosa, havia faltado na semana anterior, já não o via há quase quinze dias. Esperou certa do encontro, ele nunca faltava.  
Mas dessa vez ele faltou.
Primeiro ela ficou aborrecida, como assim havia outro em seu lugar? Depois começou a divagar, e como sempre acontece quando ela pensa demais teve medo. Em quinze dias muita coisa pode acontecer. E se ele não aparecer no próximo encontro? E se ele não estivesse mais interessado em encontros casuais semanais que não davam em nada? E se ela nunca mais o visse? E se tivesse acontecido alguma coisa com ele?
De repente ela sentiu-se desamparada. Eles não tinham mais nada em comum além de estarem no mesmo lugar toda semana naquele mesmo horário.Ela não tinha ninguém pra quem perguntar, nenhum número pra ligar, ou email pra enviar,... nada. Nunca antes havia percebido como esses encontros eram tão importantes, como lhe fazia bem. Como um combustível que tornava as coisas melhores.
E se?
E se?
Ela só vai saber na próxima semana...

sexta-feira, setembro 17, 2010

É muito amor...

Eu tava olhando as fotos do novo CT do Corinthians aí vi a foto da piscina, ahahahaha, eu quero uma igual.
Amo muito tudo isso! Pode copiar?

Tô fora da copa, dinovo.

Eu tomei um puta tombo esses dias, e bati, é claro, meu joelho machucado. Tava doendo, como sempre dói, mas dessa vez tá diferente a dor, parece que tá rasgando por dentro qdo eu dobro o joelho, tá estranho. Aí eu comprei um spray (caro pra caraio) que anestesia o local na hora. Aquele mesmo que os jogadores passam durante o jogo qdo se machucam de um jeito que vc pensa que aleijou, e depois do spray eles saem correndo normalmente, kkk.
Eu aproveitei e comprei um esmalte, pink vigarista da risqué, e tô ansiosaemcristo pra fazer as unhas, acho que faço amanhã, se eu tiver forças, pq tô cansadassa.

Adouro!

quinta-feira, setembro 16, 2010

A tímida...

Eu estou fazendo um cursinho preparatório para concurso público no Centro Educacional Damásio de Jesus. Faço as aulas via satélite em Guarulhos. Meu curso é semestral e na minha sala só tem eu. O que eu acho ótimo, pq não estou interessada em "confraternizar". Mas na sala do lado, no curso anual, tem a maior galera. Eu acho que esse pessoal me acha tímida (tempo pra rir.......kkkk), ou deslocada. Eu sou a coitadinha solitária. Na hora do intervalo eu desço pra tomar café e aí o pessoal fica me olhando, só esperando que eu dê um sinal pra chegar e puxar conversa. Eu coloco fone de ouvido e óculos (mesmo em dia nublado) e faço aloka blasé. Oh povo carente. No MS minha cara de assassina sempre funciona, ninguém chega perto, mas aqui o povo não tem medo não, chega chegando.

Hoje eu fui toda trabalhada no xadrez.

Cheia de estilo.

Lusho ou lisho?

Sempre gostei mais de calça de cintura baixa, acho mais bonito. Pode ser trauma de ter crescido nos anos 80, kkk. Mas a cintura alta tem suas vantagens. Pode olhar, mulheres que usaram calça de cintura alta, principalmente na adolescência, tem uma cintura mais marcada. Mas a maior vantagem, na minha opinião, das calças de cintura alta, é não ter que passar pelo seguinte constrangimento:

Como lidar?

terça-feira, setembro 14, 2010

Unhas prontas.


A foto nunca fica 100% fiel, o esmalte ficou um pouco mais rosado na minha unha. Hoje usei o pipa da impala, com a base matte plus da big universo, que deixa o esmalte fosco. Eu adoro ele fosco. Parece que a colorama também tem uma base fosca, demorô.

Quem nunca....?

video
Dos que eu joguei, muito mal por sinal, o nintendo 64 era o mais legal, o primeiro com perspectiva de profundidade, dava até tontura, kkk. Minha irmã é que era fera, no Mario Kart então ela detonava. Ela sempre me deixava jogar, mas acho que era pq eu morria bem rapidinho, e aí dava tempo de ela ir no banheiro, comer alguma coisa, telefonar e voltar pro jogo sem ter que esperar muito, kkkk. Meu irmão é bom no residente evil (ele ainda tem no computador), uma vez acho que passou umas 6 horas direto jogando, eu não aguento nem 15 minutos, nem é por enjoar, é por pura incompetência mesmo, hehehe.

segunda-feira, setembro 13, 2010

Ontem eu fiz a "Lindsay".

Fui no shopping ver um filme, horrível diga-se de passagem "Os possuídos" ( é Roberta, deveríamos ter assisitido a comédia romântica, mesmo com o risco de saírmos iludidinhas no cinema, kkk).
Bom, aí qdo eu me arrumei, coloquei talco (tenispé) no meu sapato. Qdo cheguei ao shopping vi que tava fazendo a Lindsay, com o pé todo branco, quase que nem o da foto, aloka.


Agora eu até acredito que era talco e não "outra coisa", hehehe.

ALOKA... dinovo.

Mas hoje eu já sabia de antemão que o povo na rua ía ficar me olhando, só não imaginei que seria TANTO, kkkkk. De genérica à exclusiva em menos de 24h.

Tô linda?

sábado, setembro 11, 2010

O amor é outra coisa...

- O amor não te faz arder em chamas. O nome disso é combustão instantânea. Amor é outra coisa.
- O amor não faz brotar uma nova pessoa dentro de você. O nome disso é gravidez. O amor é outra coisa.
- O amor não te deixa completamente feliz. O nome disso é Prozac. Amor é outra coisa.
- O amor não te deixa saltitante. O nome disso é Pogobol. O amor é outra coisa.
- O amor não te faz acreditar em falsas promessas. O nome disso é campanha eleitoral. O amor é outra coisa.
- O amor não te faz esquecer de tudo. O nome disso é amnésia. Amor é outra coisa.
- O amor não te faz perder a articulação das palavras de repente. O nome disso é AVC. O amor é outra coisa.
- O amor nao te faz sentir borboletas no estomago, o nome disso é fome. O amor é outra coisa.
- O amor não te deixa completamente imóvel. O nome disso é trânsito de São Paulo. O amor é outra coisa.
- O amor não te deixa molinho e manhoso. O nome disso é Rivotril. O amor é outra coisa.
- O amor não te deixa temporariamente cego. O nome disso é spray de pimenta. O amor é outra coisa.
- O amor não faz seu mundo girar sem parar. O nome disso é labirintite. O amor é outra coisa.
- O amor não te deixa sem chão, o nome disse é cratera. O amor é outra coisa.
- O amor não te deixa quente e te leva pra cama. O nome disso é dengue. O amor é outra coisa.
- O amor não retribui suas declarações. O nome disso é restituição de imposto de renda. O amor é outra coisa.
- O amor não leva teu café da manhã na cama e ainda dá na boquinha. O nome disso é enfermeira. O amor é outra coisa.
- O amor não te faz olhar pro céu e ver tudo colorido. O nome disso é queima de fogos de artifício. O amor é outra coisa.
- O amor não te faz ficar simpático e amoroso de repente. O nome disso é Natal. O amor é outra coisa.
- O amor não te liberta. O nome disso é ALVARÁ DE SOLTURA. Amor é outra coisa.
- O amor não te deixa à mercê da vontade alheia. O nome disso é Boa Noite Cinderela. O amor é outra coisa.
- O amor não te faz ver o mundo cor-de-rosa. O nome disso é baitolice. O amor é outra coisa.
- O amor não é aquela coisa brega, mas que te remexe todo. O nome disso é Banda Calypso. O amor é outra coisa.
- O amor não te dá a chance de mudar o que está diante de você. O nome disso é controle remoto. O amor é outra coisa.
- O amor não tira suas defesas. O nome disso é HIV. O amor é outra coisa.
- O amor não te pega desprevenido e te impulsiona para frente. O nome disso é topada. O amor é outra coisa.
- O amor não faz o coração bater mais rápido. O nome disso é arritmia. O amor é outra coisa.
- O amor não faz você dar suspiros. O nome disso é dia de Cosme e Damião. O amor é outra coisa.
- O amor não te faz ver tudo com outros olhos. O nome disso é transplante. O amor é outra coisa.                                   roubado do blog naosalvo

Genérica...

Hoje eu fiz a prova do concurso do MPU. Foi na FMU campus Liberdade. Só na Av. Liberdade tinham 3 campus, mas eu não tive problema pra encontrar o meu local de prova. Aliás eu nunca me senti tão genérica. No prédio onde eu fiz, só tinha gente com o nome começando com a letra "D", no meu andar só Daniela, Daniele e Daniel, e na minha sala só tinha DANIELA.

Cadê eu?

sexta-feira, setembro 10, 2010

Matemática


Chegou hj minha carteira de estudante, fiz principalmente p/ o show do Smashing Pumpkins, mas é lógico que eu vou no cinema, muuuito, entre outras coisas.
Será que a gente paga meia em TODO lugar com essa carterinha? Balada, barzinho, motel?? Kkkkk.

Momento AVC. dinovo...

Constrangimento, seu nome é Daniela.
Olha eu passando vergonha no prédio de novo. A Vitória interfonou hj perguntando se a gente já tinha alugado a vaga da garagem, pq um rapaz do 4.o andar tá precisando. Ai a palhaça aqui pergunta,
-"Ele é bonito?",  ....... silêncio do outro lado, e eu arremato
-"Ele tá do teu lado, né?".
Aí depois ela me liga pra dizer que ele mandou me avisar que ele é bonito sim....
Sim, ela tava no interfone viva voz....
Isto posto não saio mais do apartamento sem um lenço no cabelo e óculos escuros.

 ALOKA!!!

P.S.: Ela disse que ele é uma graçinha, kkkkk.

quinta-feira, setembro 09, 2010

Unhas feitas


Fiz as unhas hj, usei o 219 da Hits, é um amarelo pastel, ou como eu conclui usando comparação, amarelo "azulejo de banheiro".

medo.

Ontem eu fiquei muito mal, o dia todo. Fiquei triste abalada com a morte da Mari. Mas ela era amiga da minha irmã, eu encontrei com ela pouquissimas vezes e apesar de saber que ela era uma pessoa realmente especial, meu desespero não fazia sentido. Então hj, analisando mais calmamente minhas sensações, eu entendi. Minha irmã e a Mari descobriram mais ou menos na mesma época que estavam com tumores no corpo, ela no seio e minha irmã no ovário. Parece que ela descobriu mais tarde do que deveria pra se ver realmente livre da doença e minha irmã não. Mas ela fez uma cirurgia e retirou o seio, minha irmã retirou o ovário com o tumor. A doença que a matou teve origem naquele tumor, mas só mostrou realmente as caras anos depois. Acho que o que me deu mesmo foi medo pela minha irmã, não, medo é pouco, eu entrei em pânico mesmo. Eu sei que ela tá bem que faz os exames de rotina sempre e que nada de estranho apareceu... mas eu fui tomada por esse medo irracional ontem e a única coisa que eu queria era ver que ela tava bem.
Coisa de irmã mais velha mesmo...

quarta-feira, setembro 08, 2010

...e o sorriso se foi.

How long, how long will I slide
Separate my side, I don't
I don't believe it's bad
Slittin' my throat
It's all I ever
I heard your voice through a photograph
I thought it up it brought up the past
Once you know you can never go back
I've gotta take it on the other side
Centuries are what it meant to me
A cemetery where I marry the sea
Stranger things could never change my mind
I've got to take it on the other side
Take it on the otherside
Take it on
Take it on


How long, how long will I slide
Separate my side, I don't
I don't believe it's bad
Slittin' my throat
It's all I ever


Ou simplesmente "I dom..." como sua filha de um ano pedia qdo entrava no carro.

segunda-feira, setembro 06, 2010

Sem vergonha.

Eu não sou o tipo de pessoa que fica sem graça ou com vergonha fácil não. Definitivamente me fazer corar é uma coisa para poucos. Hj eu passei por uma situação um pouco embaraçosa e me lembrei da situação mais embaraçosa pela qual eu já passei. Vou contar as duas, mas não agora.
A de hj: estava descendo a rua voltando do cursinho, na minha frente íam duas mulheres cheias de sacolas de compra de mercado. Eu não conseguia passar então pensei, tô quase no prédio, lá eu viro e tudo bem. Mas elas também entraram no meu prédio. Abri a porta do elevador, sorriram pra mim, aí eu tentei ser simpática (não devia), e perguntei - Qual é o andar de vcs? resposta - O mesmo que o seu, querida. Disse a mais velha. Aí eu olhei pra ela e pensei: Bom a vizinha da frente morreu, a do lado dela é a Cristina então essa é a D. Vera, com quem eu sempre converso pela varanda, mas nunca olhei com calma o rosto. Momento AVC (qdo vc tá com tanta vergonha que preferia ter um AVC pra distrair a platéia que te olha com ar de deboche). Sorri sem graça e agradeci a deusi que meu óculos é enorme e cobre boa parte da minha então levemente rosada bochecha. O momento mais embaraçoso da minha vida foi começou em Assis-SP e se estendeu por toda a eternidade (hahahaha) e eu conto outro dia.

Fidelidade

Tá aí um troço que eu não entendo. Porque a fidelidade é tão importante paras as pessoas em um relacionamento? Vamos as opções:
a - Medo de perder a pessoa amada para outra.
     Obs.: Amigah, se o cara ficou com uma menina uma única vez e te trocou por ela, ACORDA, ele não gostava tanto assim de vc, né? Então já vai tarde...

b - Medo do outro gostar mais da nova experiência.
     Obs.: Hellouuuu, a não ser que a nova experiência seja, tipo, um deus grego, essa possibilidade é ridícula, o conhecido sempre é melhor, nem seja só por ser confortável. O novo é estranho, a gente não sabe o que fazer, como agradar, demora a se adaptar por isso não oferece risco.

c- Puro egoímo.
    Obs.: Se o seu bophe vai passar a tarde de sábado jogando bola com os amiguinhos, ou sei lá o que sem vc, que diferença faz o que ele tá fazendo? Se ele ficar com alguém, vai diminuir o número de beijos e carícias que vcs trocarão mais tarde? Por acaso existe uma tabela, tipo, hum usei todo o estoque de lambidas na orelha, agora só no mês que vem? Num entendo mesmo.

E tem outra, as vezes é bom provar algo novo, diferente, até pra se ter certeza de que prefere o que está com a gente ou se é mais por costume mesmo. Se o bophe é seu, ele volta colega.

E qdo os bophes se equivalem, comofaz?

Por exemplo:

Hummm, o que eu tava falando mesmo?.....
A tá. Vamos supor que vc namore o bophe A, ama de paixão. Ai um dia sai sem ele e dá de cara com o bophe B, ai, ai, que sorte em!! Continuando... E o bophe B te dá super mole (vai sonhando). Hello, vc vai deixar escapar a oportunidade de dar uns catos numa força da natureza como essa só por fidelidade? Nuossa, é até capaz de depois vc ficar com raiva do seu bophe pq num aproveitou a chance. E depois...ahaah ai é dificil se concentrar com essa duas barrigas aqui na minha frente. Ok, e tem mais nesse caso o bophe B, por mais escândalo que seja, é só uma atração física, vc gosta mesmo é do bophe A (vc, eu não), vai voltar inteirinha pra ele, sem faltar nenhum pedaço e melhor, feliz da vida.
É lógico que ele não precisa saber, mas o certo mesmo é estabelecer um acordo prévio entre as parte pra que esse tipo de chance não seja desperdiçada e que sirva pra incrementar e não para estragar a relação.
#prontofalei.

domingo, setembro 05, 2010

Baladinha no sábado.

Inha mesmo, pq eu tava tão cansada que quase dormi no barzinho, kkk. Então pq que foi? Porque eu tava a fim de relaxar um pouco, pq fazia mó cara que eu não saia de casa, pq eu tava a fim de dar uma paquerada, pq eu queria ter certeza de que me empapuçei de cerveja e pq eu tava com vontade de me maquiar. Tá bom de motivos? Então fui, tomei "uma" cerveja e não quis mais. Vou ter que ficar rica se quiser sair a noite e não morrer de tédio, cerveja é o goró (aceitável) mais barato que tem nas baladas e ainda assim é caro. Paquerei um cara acompanhado e minha prima ficou com medo de a gente arrumar encrenca, hihi, e acabei a noite com um copo "imenso" de suco de abacaxi com hotelã (eu sei, quem me conhece bem a essa altura deve estar pensando que eu fui abduzida e quem está escrevendo nesse blog é meu clone). Ah, e vim pra casa dormir antes da uma e meia. Mas eu fiz uma maquiagem linda, tirei uma foto pela webcam enquanto esperava minha prima, olha só:
 
Olha que phyna. Cara de "Daniela Portela de despreza..." kkkk

sábado, setembro 04, 2010

Cansada... não, exausta.

Hoje eu já fui dar aula cansada. Acordar de segunda à sábado as 6:00 a.m. pra quem tava acostumada com a vida boa, kkk némolenaum. Ai a prof. que dá aula de tarde faltou e avisou em cima da hora, e eu dei aula no lugar dela. Terça é feriado, eu vou dormir o dia TODO, hahahaha. Essa foto é da passarela por onde eu passo pra pegar o busão do outro lado da Dutra pra voltar pra casa. Dou aula no prédio marrom alí em cima. Isso fica beeem depois do aeroporto de Cumbica. Esse dia tava bonito...

sexta-feira, setembro 03, 2010

Unhas feitas

Fiz as unhas hoje, usei o Valquiria, da Hits, coleção tititi. É um preto com um brilho meio prata. Não tem muito o que variar no preto, né?! Preto é preto, mas é lindo. É o que temos pra hj.

quinta-feira, setembro 02, 2010

Retoquei a tatuagem...

O chato de retocar tatuagem é que vc tem a dor, mas não tem novidade. Essa eu fiz dia 22/07, o retoque, geralmente, é 0800, e foi. Dei uma escurecida, tava muito pálida.
Ontem eu não tive vontade de postar pq tava enxoxotada, e não tô a fim de ficar me lamentando aqui. Já basta no cursinho, que eu tenho que fazer a nojenta pra num fazer amizade. Eu não estou lá pra arrumar amiguinhos e sim pra estudar. Faço aloka e finjo que nem tô nos intervalos. Mas eu já percebi uns dois ou três que tão doidos pra fazer amizade. O gente carente... e eu fazendo minha cara de segunda-feria de manhã, imagina só. Agora eu adoto a técnica do fone de ouvido. Se vc tá com um fone no ouvido, ninguém te dirige a palavra, se dirigir, é só fazer cara de que tá ocupada e demorar pra responder, com uma pitada de impaciência que a pessoa desiste.
Ah, não sou paga pra ser simpática, me poupe...