domingo, agosto 21, 2011

Pesadelos, nem sempre eu curto...

Essa noite eu tive um pesadelo recorrente. É um troço que eu tenho pavor. Odeio sonhar com isso, mas róla de vez em sempre, aff.
Dá até um troço ruim.
Sonhei que morava em PP, (engraçado que sempre que eu sonho com a casa dos meus pais é a casa dos anos 80/90, com portãozinho de ferro que abria com uma gambiarra do meu pai, quintal de matagal, daquele jeito, hehehe). Bom como eu ía dizendo, tava morando lá, e por mais incrível que pareça, nós tinhamos uma sucuri verde escuro de estimação (IÉCAA), mais ou menos que nem essa:


Só que a "nossa" era mais grossa e de uma tonalidade verde mais escuro. Ela ficava perto do muro, no meio de um gramado alto, e tinha uma espécie de tapete que a cobria. Nós a alimentávamos com outras cobras, que aparentemente, apareciam com uma certa frequência no nosso quital, (socorro). Tinha até um negócio próprio pra matar cobra, um cabo de vassoura com uma lâmina na ponta, pronta pra cortar as cabeças das colequinhas que aparecessem, como essas aí:


Essas pretinhas eram as mais comuns. Eu matei uma, que alguém que tava no sonho disse ser uma surucucú, e eu perguntei se era venenosa e esse alguém disse que sim.
Mais tarde no sonho a "nossa" cobra tava meio magra e o meu cachorro tava querendo brincar com ela, lembro de ter dito pra minha mãe que era melhor arrumar carne pra dar pra cobra, antes que ela engolisse o Thiago e eu fosse obrigada a abrí-la com uma faca. Aff, vê se pode, sonho escroto, NOJO!!!

É o que tem pra hj.
#bjmeliga.

2 comentários:

abelhamary disse...

não será, por causa da bota?já deve estar com peninha das colegaskkkkk.bjs

Lalá disse...

A é, a bota... e aí vc viu ela? Tá pronta? Tô com pena nada, tô é doida pra usar, kkkkkk.