segunda-feira, março 21, 2011

Anonimato

Eu gosto de ser anonima. Mais uma na multidão. É uma sensação de liberdade. Se eu quiser, posso mostrar a bunda na rua, não tem consequências ( a não ser que um guarda veja, kkkk). Posso encher a cara na balada e dar vexame, andar vestida que nem hippie, experimentar, ninguém vai falar nada.
Mas não faço nada disso, posso, mas não quero. Acho que estou ficando madura (ahrã Claudia..., hehehe), logo logo apodreço e caio, kkkkkkkkkkkkkk.
Mas a sensação de não precisar ter cuidado com o que faz pra preservar a reputação é muito boa, realmente libertária. Isso só uma metropole proporciona. É o que eu sinto em São Paulo.
Uma outra forma de expressar essa ideia é afirmar que em São Paulo eu não sou ninguém.
Em Ponta Porã, eu sou a Dani, filha do Seu Portela e da Dona Ester, que mora naquela casa que mais parece um clube, que tem um cachorro de madame com nome de gente. Lá em Ponta Porã e em Dourados eu sou a irmã da Nati, aquela loira com cara de emburrada que tem um senso de humor sarcástico e acessível a poucos. Sou aquela que estudou no magsul, tocou na fanfarra, fez direito, que já foi loira, morena e ruiva. Que era mó gostosa e sabe-se lá porque engordou um monte.
Sou amiga de muita gente, ex-namorada deu alguns, brigada com poucos. Mas lá eu sou alguém.
Por isso mesmo, lá eu não poderia fazer qualquer coisa (não que eu queira), mas o que vc faz ao lado de um ou dois, à noite, em uma cidade pequena, amanheçe no ouvido e na boca de dez ou mais. Na maioria das vezes deturpado.
Quem liga? Assim como vem, os boatos vão. Eu já fiquei grávida, já fui lésbica, fura-zóio (uma pitada de verdade devo admitir, cidade pequena, pouca opção....), e usava a expressão da vilã do desenho da disney "Bernardo e Bianca", aquele dos ratinhos: "Falem bem ou falem mal, mas falem de mim!"
O que será que a fronteira anda falando de mim? Será que já fui esquecida? kkkkk.
Coitado de quem é alguém em qualquer lugar, aff, vida ingrata, paparazzi, internautas dando palpite em tudo... delzulivre.

É o que tem pra hj.
#bjmeliga

2 comentários:

aline disse...

e pensar que um dia odiava ser a filha do Ricardo da segurança ..rsrsrsr !! Onde tds masss tdss mesmo sabiam nossos passos....
Jah to me acostumando com o anonimato...rsrsrsr
Mas pode ter ctza que eskecida nunca seremos...a melhor sensação eh qdo estamos fora e passamos soh para visitas na cidade...INENARRAVEL!!!rsrsrsr
Saudades sempre xoxo Xuxu

Patrícia disse...

Vc nunca será esquecida porque é inesquecível!! E tb porque faz parte da história da vida de diversas pessoas. Eu que o diga! Sempre esteve lá nos momentos mais importantes, inesquecíveis, perigosos, loucos, divertidos, proibidos, esquisitos, etc... E espero que assim continue.
bjs